Ads Top

Ônibus terão controle biométrico facial em Nilópolis

As empresas de Ônibus de Nilópolis já começaram a instalar os equipamentos que farão o controle biométrico facial em todo o sistema de bilhetagem eletrônica nos ônibus das linhas municipais e intermunicipais. Segundo a Secretaria Estadual de Transportes, o objetivo da medida é garantir maior controle e evitar fraudes nas gratuidades (alunos dos ensinos fundamental e médio da rede pública, idosos, pessoas com deficiência e portadores de doença crônica física ou mental beneficiadas pelo Vale Social) e no sistema do Bilhete Único Intermunicipal.

A medida foi publicada no Diário Oficial, no último dia 05. No entanto, ainda não foi definida uma data para o início da utilização do sistema de controle. Não será necessário fazer recadastramento, exceto em casos de divergência entre os dados biométricos do titular e do portador que faz uso do cartão.

A Secretaria de Transportes ressaltou ainda que o investimento será pago por empresas e concessionárias que operam os sistemas rodoviário, metroviário, ferroviário e aquaviário, sem custo para o Estado ou reflexo no preço da passagem.

Como funciona

Com uma câmera acoplada ao validador, será possível comprovar se o portador do cartão é mesmo o titular do benefício. A secretaria garante que nenhum usuário será barrado na roleta, mesmo diante de irregularidade.




Em caso de divergência entre as imagens do passageiro e do dono do BU ou da gratuidade de alunos da rede pública, a concessionária deverá convocar o titular para renovar seu cadastro em até cinco dias úteis. Se a divergência for em relação à gratuidade de idosos, deficientes físicos, mentais ou portadores de doenças crônicas, o prazo será o dobro.




Se não atender à convocação, o usuário terá bloqueados os direitos à gratuidade ou ao subsídio do BU, que é financiado pelo estado e concede desconto em integrações. Não será necessário fazer recadastramento, a não ser que haja divergências. Este procedimento será gratuito nos postos do BU ou por autocadastro em um aplicativo.

O decreto prevê punições progressivas, como suspensão do benefício por 60 dias e cancelamento definitivo para reincidentes. Os dados dos usuários serão cruzados com o cadastro do BU, o banco de dados do Detran e demais bancos de identificação civil. Além do uso de cartões por terceiros, é proibido emprestá-los, usá-los em desacordo com suas finalidades e fornecer informações falsas para obter os benefícios de isenção ou redução de tarifa.






Nenhum comentário:

E você, o que acha deste tema? Fique a vontade para expressar sua opinião, mas não utilize ofensas nem palavras impróprias, pois seu comentário será removido.

Tecnologia do Blogger.