Ads Top

Servidores da Prefeitura de Nilópolis impedidos de tirar férias

Servidores da Prefeitura de Nilópolis estão tendo uma ingrata surpresa ao tentarem dar entrada em seus pedidos de férias. De acordo com funcionários da Secretaria Municipal de Administração o direito ao benefício está suspenso por determinação do prefeito Alessandro Calazans.

Segundo servidores que entraram em contato com a nossa Redação, sem nenhum aviso ou decreto, os servidores que, mesmo estando de posse do ofício, assinado por suas chefias, autorizando a concessão do gozo de férias, os pedidos não estão sendo aceitos. "Fui entregar o oficio das férias e a atendente da Administração, me informou que não estavam recebendo pedidos de férias de ninguém. Questionei o motivo e ela se limitou a dizer que era uma ordem do prefeito, e que ninguém sabe o motivo. Só me deu um telefone para ligar para saber quando vão aceitar. Está claro que é mais uma represália do prefeito pela sua derrota nas eleições. Mais um absurdo e covardia que estão fazendo com a gente", declarou o servidor que pediu anonimato.





A situação dos servidores da Prefeitura de Nilópolis começou a ficar ruim dois após a derrota do prefeito Alessandro Calazans para o candidato Farid Abrão. Dentre as medidas que prejudicam diariamente os servidores e a população está o corte nas gratificações e a demissão em massa de servidores ocupantes de cargos não efetivos. As medidas vem provocando paralisações em diversos serviços públicos. Servidores afirmam que postos de saúde e escolas estão funcionando com menos da metade dos funcionários e quem ainda está trabalhando, sofre as dificuldades de estar sobrecarregado.




Como sabido, o período de férias (integral ou parcelado) deve obrigatoriamente constar na programação anual de férias, previamente elaborada pela chefia imediata. "O veto ao período de férias ou a sua reprogramação só pode ser feito por esta mesma chefia, em razão do interesse público, desde que a solicitação seja feita em tempo razoável para a análise de sua conveniência e oportunidade. Portanto, no caso do servidor, que se encontrar de posse com o ofício autorizando as férias, somente esta mesma chefia, poderia anular o ofício, ou em um caso extremo, o prefeito deveria publicar um decreto cancelando todas as férias", disse o especialista em direito do trabalho, Júlio Henriques.

O servidor que teve o pedido de férias não aceito, afirmou que irá acionar o Ministério Público, de forma a evitar que a medida, claramente, tomada em represália, continu




Nenhum comentário:

E você, o que acha deste tema? Fique a vontade para expressar sua opinião, mas não utilize ofensas nem palavras impróprias, pois seu comentário será removido.

Tecnologia do Blogger.